PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
31 de Agosto de 2018 | Notícias

Terceirização: Golpe nos trabalhadores com STF, com tudo

Por sete votos a quatro, o Supremo Tribunal Federal, STF, decidiu que a terceirização irrestrita é constitucional em sessão na tarde de ontem. A decisão dá aval à Lei da Terceirização aprovada pelo Congresso e sancionada por Michel Temer em 2017.

“O STF complementa o rol de desgraças que se abateu sobre a classe trabalhadora desde o golpe. A terceirização irrestrita significa que os trabalhadores e trabalhadoras na atividade-fim de uma empresa, ou seja, na atividade principal, poderão ser terceirizados”, afirmou o presidente do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão. 

“A empresa pode trocar o contratado direto por quem ganha menos, sem plano médico, sem auxílio transporte, sem um sindicato que o represente, sem direitos. Foi isso que o STF permitiu ao ratificar a precarização de todas as relações de trabalho”, alertou.

Votaram a favor da terceirização irrestrita os ministros Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cármen Lúcia.

Votaram contra Edson Fachin, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello.

Foto: Nelson Jr/SCO/STF

De acordo com estudo da CUT e do Dieese, em relação aos trabalhadores diretos, os terceirizados têm menos direitos, ganham 25% menos, trabalham quatro horas a mais, são mais vulneráveis aos acidentes no local de trabalho por falta de segurança, além da alta rotatividade que sofrem.

Wagnão ressaltou a importância do resultado das eleições, já que a demanda patronal pela reforma da Previdência ainda pode ser votada pelo Congresso.

“Não podemos permitir que precarizem a vida de todos nós. O STF não pode jogar os direitos de cada um na lata do lixo. À luta!”, chamou.

Da Redação. 

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: