PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
6 de Novembro de 2018 | Notícias

FEM-CUT assina Convenção Coletiva com a Fundição

Acordo garante reposição da inflação, aumento real e direitos para 507 trabalhadores no ABC

Foto: Marina Selerges

Os representantes da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT, FEM-CUT, assinaram, na última quinta-feira, 1º, a Convenção Coletiva de Trabalho, CCT, com a bancada patronal da Fundição. O acordo mantém direitos conquistados e aumento de 5%, o que representa aumento real de 1,31% mais 3,64% de reposição da inflação pelo INPC para 507 trabalhadores na categoria.

Entre outras garantias, a CCT assinada assegura que as empresas discutam previamente com os sindicatos sobre a contratação de trabalhadores em jornada intermitente e que gestantes ou lactantes não trabalharão em local comprovadamente insalubre. A convenção tem validade de dois anos.

Para o presidente da Federação, Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, a assinatura com a Fundição é fruto de um árduo trabalho realizado desde o primeiro semestre deste ano. “Nos comprometemos com os trabalhadores a conquistar o aumento real e manter os direitos e é isso que estamos entregando”.

Com mais este acordo assinado, estão contemplados, além dos trabalhadores na Fundição, os no G3, G2, G8, Sindratar e Sindicel. Ainda estão sem acordo o Grupo 10 e a Estamparia.

Segundo Luizão, conversas estão sendo realizadas com representantes de ambos os grupos e há sinalização das bancadas para apresentação de novas propostas ainda esta semana, mas ele destaca que é preciso manter a mobilização.

“Estamos em constante conversa com o patronal, insistindo para que eles sigam os outros grupos e apresentem o reajuste de 5%. Nossa luta é para que todos os trabalhadores da categoria tenham o mesmo acordo econômico. Mas para isso, a mobilização dentro das fábricas para pressionar os patrões deve ser mantida”, ressaltou o presidente.

O índice de 5% foi aprovado em assembleia realizada na Regional Diadema, no último dia 17. 

PROPOSTAS APRESENTADAS POR GRUPO

GRUPO 3

Em 1º de setembro: 5% de reajuste. Vigência das cláusulas sociais por 2 anos.

APROVADA

 

SINDRATAR e SINDICEL

Em 1º de setembro: 5% de reajuste. Vigência das cláusulas sociais por 2 anos.

APROVADA

 

GRUPO 2

Em 1º de setembro: 5% de reajuste. Vigência das cláusulas sociais por 2 anos.

APROVADA

 

GRUPO 8.3

Em 1º de setembro 5% de reajuste. Vigência das cláusulas sociais por 1 ano.

APROVADA

 

GRUPO 8.2

Em 1º de setembro 5% de reajuste. Vigência das cláusulas sociais por 1 ano.

APROVADA

 

FUNDIÇÃO

Em 1º de setembro: 5% de reajuste. Vigência das cláusulas sociais por 2 anos.

APROVADA

 

GRUPO 10

Em 1º de setembro: Só o INPC (3,64%) Vigência das cláusulas sociais por 1 ano.

REJEITADA

 

ESTAMPARIA

Em 1º de setembro: Só o INPC (3,64%). 1,5% sobre o salário corrigido pelo INPC a ser pago em 1º de março de 2019, como antecipação da data base de 2019. Vigência das cláusulas sociais por 1 ano.

REJEITADA

 

Da Redação.

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: