PESQUISA / SUGESTÕES
RECEBA INFORMAÇÕES
28 de Novembro de 2018 | Notícias

Encontro debate fortalecimento da ferramentaria no Brasil

Fotos: Divulgação

O secretário de Formação da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT, a CNM-CUT, José Roberto Nogueira da Silva, o Bigodinho, participou do 16º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes da Associação Brasileira de Metalurgia, a ABM, em Joinville, Santa Catarina, nos dias 22 e 23.

Entre as pautas debatidas está o programa de liberação de créditos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) das montadoras e autopeças do Estado de São Paulo para investir em ferramentarias. A proposta foi publicada no Diário Oficial do Estado no último dia 9.

“Mostramos a importância do resgate do setor de ferramentaria no Estado de São Paulo usando o crédito de ICMS para a geração de novas oportunidades”, afirmou Bigodinho.

 “E essas novas oportunidades passam por discussões sobre qualificação profissional, Sistema S e universidades. Na indústria da transformação, significa a importância de o produto nascer e ser desenvolvido aqui no país, independentemente das matrizes das montadoras. A ferramentaria gera empregos com salários melhores, inteligência e conhecimento no Brasil”, explicou.

Bigodinho defendeu que a partir do programa de liberação de crédito de ICMS, trabalhadores, empresários e setor público podem entrar em novas discussões sobre atualização da grade de ensino, novos laboratórios de pesquisa e desenvolvimento de peças, centro de testes compartilhados e novos escritórios de projetos.

O dirigente ressaltou ainda a atuação conjunta com entidades como a Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais, a Abinfer.

“O presidente da Abinfer, Christian Dihlmann, já afirmou que o programa em São Paulo vai gerar uma demanda bastante interessante e necessária para o setor automotivo. A ideia é articular a proposta em outros Estados, principalmente no Sul e na Bahia, que também são polos de ferramentaria como São Paulo e Minas Gerais”, contou.

A estimativa em São Paulo é de cerca de R$ 5 bilhões de créditos só das montadoras na Secretaria da Fazenda do Estado que poderão ser liberados pelo programa. O decreto, que depende de regulamentação, ainda contempla a possibilidade das autopeças utilizarem o crédito da mesma forma.

 Da redação

00
comentários para esta matériaCOMENTAR
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
Rua João Basso, 231 - CEP 09721-100
Centro - São Bernardo do Campo/SP
TRIBUNA METALÚRGICA


VEJA TODAS AS EDIÇÕES
Buscar por Nº: